Vereadores e prefeito acompanham presidente Bolsonaro na inauguração do Terminal Rodoferroviário e do trecho da Ferrovia Norte-Sul, entre São Simão e Estrela D’Oeste

por Comunicação / CMSS publicado 05/03/2021 15h05, última modificação 08/03/2021 08h42
O presidente Jair Messias Bolsonaro inaugurou, no final da manhã desta quinta-feira (4), no Distrito Agroindustrial, o trecho de 172 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul (FNS) que liga a cidade de São Simão a Estrela D’Oeste (SP).

Galeria de Fotos

 

O presidente Jair Messias Bolsonaro inaugurou, no final da manhã desta quinta-feira (4), no Distrito Agroindustrial, o trecho de 172 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul (FNS) que liga a cidade de São Simão a Estrela D’Oeste (SP).

 

Presenças

A cerimônia marca o início do corredor ferroviário ligando Goiás ao Porto de Santos e contou com a presença de diversas autoridades, entre elas, os ministros Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Fábio Faria (Comunicações); o Secretário-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni; o vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota; o diretor-presidente do Grupo Caramuru Alimentos, Alberto Borges de Souza; o presidente do Conselho de Administração da Cosan e Rumo Logística, Rubens Ometto Silveira Mello; o chefe do gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; presidente da Cosan, Luis Henrique Guimarães; presidente da Valec, André Kuhn; diretor-geral substituto da ANTT, Alexandre Porto; deputados federais: Glaustin da Fokus, João Campos, José Nelto e Magda Mofatto. Além deles, também o secretário executivo da Infraestrutura, Marcelo Sampaio; secretária especial do Programa de Parcerias e Investimentos, Martha Seillier; deputado estadual Cairo Salim; secretário de Estado da Agricultura, Antônio Carlos Neto; secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt; presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral.

Por São Simão, participaram o Presidente da Câmara Municipal, Lucas Vasconcelos, os vereadores Adriano Pimenta, Ailton Lopes, Fábio Kebinha, Gilmar do Garimpo, Laerte Nogueira, Ludgero Neto, Vilarinho e Welington Carvoeiro; o prefeito Assis Peixoto e seu vice Fábio Capanema. Por motivos pessoais, os vereadores Professor Fernando e Raufi Diones não prestigiaram a solenidade.

 

 

Sobre o empreendimento

A Rumo arrematou em leilão, por R$2,719 bilhões, os trechos central e sul da Ferrovia Norte-Sul em março de 2019, em um contrato que inclui a conclusão de obras inacabadas. A concessão tem duração de 30 anos e compreende a 1.537 quilômetros entre Porto Nacional (TO) e Estrela D'Oeste (SP), em um projeto denominado Malha Central.  A ferrovia é classificada como um dos principais projetos para o escoamento da produção agrícola do país e o trecho liberado, que faz parte do Tramo Sul da FNS, é o penúltimo a ser entregue.

A operação no trecho da FNS, que corta o Sudoeste Goiano e o Triângulo Mineiro, foi autorizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na última terça-feira (2). Ao ser inaugurado, esse trecho fará com que a concessionária Rumo tenha conexões nos seis principais estados produtores do país, além de ligá-la à Malha Paulista. Segundo o Ministério da Infraestrutura, a previsão é que a ferrovia esteja 100% operacional até junho.

A rota entre São Simão e o porto de Santos será feita com trens de 120 vagões, e não mais de 80, significando mais eficiência, com ganhos em emissão de gases e economia de combustível. Cada composição passou de 1,5 km para 2,2 km de comprimento. Com a nova rota, as operações da concessionária chegarão a Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul, principais produtores do país, e a um total de 14 mil quilômetros de ferrovias, ligando aos principais portos.

 

 

Discursos

Durante a solenidade, o prefeito Assis Peixoto destacou ser a data memorável para o município e São Simão uma cidade privilegiada. “Geograficamente estamos localizados em uma área próxima a São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Precisamos ter a pujança e unir as forças políticas para que essa cidade se transforme em um grande potencial industrial e, os senhores Alberto e Rubens sabem disso. Necessitamos que mais empresários descubram essa região. Esse Brasil precisa crescer e de pessoas de coragem, Senhor Presidente. E será em suas mãos que faremos tudo isso!” Disse.

Também foi inaugurado nesta quinta-feira o Terminal Rodoferroviário de São Simão, interligado à Ferrovia Norte-Sul. Construído no Distrito Agroindustrial, o terminal será administrado pelas empresas Rumo Logística e Caramuru Alimentos. O local será utilizado para o escoamento da produção de cargas como soja, milho e farelo de soja. A obra possui investimento aproximado de R$ 70 milhões e faz parte do programa “Agora, é Avançar” e complementa uma megaestrutura fundamental para o desenvolvimento e a competitividade do Brasil e de Goiás.

Atento à cerimônia, o presidente da Casa de Leis, vereador Lucas Vasconcelos, lembrou orgulhoso que a semente para a criação do Distrito Agroindustrial foi plantada na gestão do ex-prefeito Marcinho, seu pai. Marcinho foi o gerente de implantação do Distrito Agroindustrial no período em que foi vice-prefeito ao lado ex-prefeito Waldemarinho, no mandato de 1989/1992. E foi durante seu mandato como prefeito (1993/1996) que, grande parte das empresas vieram a se instalar próximo ao Porto de São Simão.

 “Estamos vivendo e presenciando um momento impar na história de nosso município. A partir desse momento, São Simão e Itaguaçu entram no rumo do desenvolvimento e nos trilhos do progresso”, comemorou.

O empresário Alberto Borges explicou que o terminal vai operar em alta escala. “Esperamos trabalhar com mais de 5 milhões de toneladas por ano. E essa escala gera custos menores e oportunidades de ganhos na cadeia do agronegócio”, pontuou.

O executivo Rubens Ometto, em seu discurso, afirmou que a companhia Rumo Logística desembolsou no ano passado R$ 711 milhões para obras de infraestrutura do projeto e entregou a operação cinco meses antes do prazo.

Ainda, segundo ele, para tornar o trecho operacional, a Rumo investiu em obras de infraestrutura, incluindo a construção de quatro pontes entre os Estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo, além de um pátio de ligação em Estrela D'Oeste. A companhia também viabilizou a implantação dos trilhos que restavam para conectar esses três Estados. Três terminais foram projetados para atender a região sudoeste de Goiás, o leste de Mato Grosso e o Triângulo Mineiro.

“Hoje é um dia histórico não só para a empresa, mas para todo o Brasil! A Rumo tornou realidade um projeto que começou há 30 anos. Com esse trecho, ligamos o Centro-Oeste ao principal corredor ferroviário nacional, formado pelas Malhas Norte e Paulista. O Terminal Rodoferroviário de São Simão, construído em parceria com a Caramuru, é o primeiro a se tornar operacional, com capacidade de 5,5 milhões de toneladas por ano. Além deste terminal, outros dois, em Rio Verde e Iturama, serão inaugurados. Na cidade goiana, a previsão de inauguração é para o final do primeiro semestre de 2021. Trata-se de um terminal multimodal, que também vai movimentar combustível e contêineres, e vai ser o maior da Malha Central. Já em Iturama, o terminal deve movimentar açúcar e ficar pronto no fim do primeiro semestre de 2022”, assegurou.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas disse que poderá sair, no próximo mês, a extensão da malha norte da Rumo, ligando Rondonópolis (MT) a Lucas do Rio Verde (MT). A ferrovia atualmente liga Aparecida do Taboado (MS) a Rondonópolis. De acordo com ele, será preciso que o Senado autorize e, se isso ocorrer, a sanção e autorização para as obras poderão sair no mesmo dia. Ele afirmou acreditar que seja possível fazer o processo em abril e que isso destravaria mais R$ 8,5 bilhões em investimentos.  Se a proposta, que é desejo da Rumo, prosperar, ela poderá buscar cargas no norte de Mato Grosso e implementar um ramal para Cuiabá.

“Não há problemas na economia e o governo vai fornecer 140 milhões de doses de vacina até o meio do ano. Por que nós não vamos confiar no Brasil?", perguntou.

Já o ministro das Comunicações, Fabio Faria, criticou o desmonte dos hospitais de campanha pelas administrações estaduais. "Se fosse o presidente que fizesse isso, iriam chamá-lo de negacionista", disse.

Faria exaltou o Brasil ser o sexto país do mundo em número absoluto de vacinações e afirmou que as aglomerações na campanha política, nas festas de fim de ano e no Carnaval pelo país foram responsáveis pelo avanço da doença. "Mas se o presidente sair e cumprimentar 10 pessoas, aí cai o mundo. Vamos começar a falar bem do Brasil", encerrou.

O vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota, pediu como presente de aniversário a duplicação da BR-153. O ministro Tarcísio, de imediato, falou que o processo começa com o leilão da concessão em abril próximo.

“Essa rodovia já foi conhecida como a rodovia da morte em Goiás”, afirmou.

Tejota destacou que, desde que assumiu a gestão ao lado do governador Ronaldo Caiado, uma das principais metas é para ampliar a malha rodoferroviária em Goiás para atender a grande demanda de escoação do setor produtivo. “Temos aqui no Sudoeste goiano uma logística extremamente estruturada, pronta para escoar o resultado do trabalho do agronegócio goiano”.

O vice-governador acredita que a nova estrutura vai garantir mais agilidade para a produção agrícola da região, além de elevar o patamar de competitividade das negociações do estado no mercado internacional. “Nosso estado é conhecido como um celeiro, que abastece várias nações mundo a fora. Esse trecho inaugurado aqui hoje é o verdadeiro caminho do triunfo para os produtores goianos” completa.

Na ocasião, Lincoln Tejota representou o governador Ronaldo Caiado, que se recupera de um quadro de infecção urinária.

Em seu discurso, o presidente Jair Bolsonaro voltou a reclamar do lockdown adotado por governadores e prefeitos em meio ao aumento de casos de covid-19 no país. Ao elogiar o trabalho dos agricultores, que não pararam mesmo na pandemia, Bolsonaro pediu para que a população retornasse ao trabalho e que a mesma enfrente os problemas. “Nós temos que enfrentar os nossos problemas, chega de frescura e de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Obviamente, respeitar os mais idosos, aqueles que têm doenças, comorbidades, mas onde vai parar o Brasil se nós pararmos?” indagou.

Para o presidente é tratamento errado as medidas de isolamento e o fechamento de comércios. "A própria Bíblia diz 'Não temas'. Eu sou católico, acredito em Deus, respeitamos as religiões, mas se ficarmos em casa o tempo todo e eu disser que a economia a gente vai ver depois, uma parte já estamos vendo agora o que foi essa política. Qual o futuro do Brasil? O efeito colateral do tratamento errado da covid que eu venho falando há um ano é muito mais danoso que o próprio vírus”, disse.

Bolsonaro completou dizendo que o combate ao vírus está sendo feito de forma burra e suicida. “Sem dinheiro, sem salário e sem emprego, estamos condenados a miséria, ao fracasso, a morte, a ações que não nos interessam como distúrbios, saques, e temos que ter coragem para enfrentar os problemas. Como gostaria de ter o poder para definir essa política. E eu sei, aprendi na minha vida que temos que tomar decisões. Até quando vamos ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo? Ninguém aguenta mais isso, mas tudo isso tem que ter uma solução. Eu fui eleito para comandar o Brasil espero que esse poder me seja restabelecido porque sou um democrata”.

O chefe do executivo criticou a imprensa e a criação de novas reservas indígenas. "Já são 14% do nosso território demarcado como terra indígena. Uma área do tamanho da região sudeste, um absurdo. E que imprensa é essa nossa que transformou-se num partideco político de esquerda. Eu quero uma imprensa forte, cada vez mais livre”, concluiu.

Ele ainda elogiou o trabalho de sua equipe de ministros e ressaltou que o ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, permanecerá no governo. “Eu já para disse a ele que, ele só sairá do governo se for elogiado pela Globo e pela Folha”.

 

 

Wi-fi Brasil

Durante o evento, o Ministério das Comunicações, Fábio Faria, também entregou ao distrito de Itaguaçu, o sinal de internet livre do programa Wi-Fi Brasil. A antena, o roteador e os aparelhos necessários para captar o sinal de satélite estão instalados na subprefeitura do distrito.

De acordo com o ministro, o ponto de acesso beneficiará mais de mil pessoas, com internet de 20MB de velocidade e ilimitada. É o primeiro ponto em São Simão. No estado de Goiás há 141 unidades com o Wi-Fi Brasil, a maioria em escolas. “Acabamos de entregar mais um ponto de internet no distrito de Itaguaçu. Sob comando do presidente Bolsonaro, vamos conectar o país!”

Atualmente, há mais de 13 mil pontos do programa espalhados por mais de 2,9 mil cidades brasileiras. Os equipamentos públicos mais atendidos são as escolas, onde estão instaladas mais de 9,6 mil antenas, especialmente em regiões rurais, além de postos de saúde, com 1,2 mil unidades. O programa atende também aldeias indígenas, quilombos, telecentros e postos de fronteira.

 

Galeria de Fotos

 

 

error while rendering plone.comments